August 16, 2018

Please reload

Posts Recentes

Largura mínima para corredores e escadas

May 22, 2020

1/5
Please reload

Posts Em Destaque

SISTEMA "LIGHT STEEL FRAME" - VEDAÇÕES

February 24, 2017

Quem não gostaria de ter sua casa dos sonhos executada em apenas alguns meses após o projeto pronto?

 

O sistema Light Steel Frame (quadro/esqueleto em aço leve) é considerado como construção industrializada de rápida e fácil execução, sendo ele muito utilizado em países sujeitos a grandes cargas de vento e terremotos. Constituído por perfis leves de aço galvanizado, o sistema é formado basicamente por montantes, guias, travamentos e contraventamentos, de tal forma que juntos proporcionam uma excelente rigidez, principalmente quando se leva em consideração o fechamento dos painéis autoportantes (paredes), os quais fornecem uma rigidez ainda maior.

 

 Edifício em LSF de 7 pavimentos. (Fonte: http://www.concept-casa.com/en/multi-andares/)

 

 

Você sabe de onde surgiu o LSF?

 

A história do LSF, tem inicio através do Wood Framing (esqueleto em madeira – próxima imagem), o qual teve seu inicio nos Estados Unidos da América (EUA). De acordo com Rodrigues (2006), no século XIX o EUA passou por uma expansão territorial, e consequentemente por um aumento da população, a qual se multiplicou por dez vezes.

 

Com o expressivo aumento da população Rodrigues (2006), afirma que foi preciso achar um sistema prático e rápido de construção para atender a demanda. Através dessas características começaram a utilizar a madeira como material para as estruturas, tendo em vista a sua abundância na região. Consul Steel ressalta que o sistema era conhecido como ‘Balloon Framing’, o qual se utiliza de peças com seções pequenas.

 

Com o desenvolvimento da siderurgia durante a segunda guerra mundial (2ªGM) e o crescimento da economia norte americana, a produção do aço acabou sendo impulsionada. Assim, o aço começou a substituir a madeira, fornecendo uma maior resistência e eficiência ao sistema. Em meados da década de 90, a alta no valor da madeira influenciou ainda mais na substituição do sistema Wood Framing pelo sistema Light Steel Framing. (Bateman, 1998 apud Freitas e Crasto, 2010).

 

No Japão, houve a necessidade de reconstruir cerca de quatro milhões de residências devido as grandes destruições deixadas pela 2ªGM. Até a guerra, se utilizava a madeira como estrutura, porém, devido ao seu alto índice de combustão, o governo veio a proibir tal material (poupando também suas reservas). Sendo assim, a siderurgia viu a proibição da madeira como um mercado promissor, levando-as a investir em perfis leves de aço. (Freitas e Crasto, 2010).

 

Atualmente no Brasil pode-se observar o crescimento do sistema, através de edificações residenciais e comerciais nas principais cidades do país.

 

                                              Casa em Wood Frame (Texas – EUA: Arquivo Próprio).

 

O que utilizar no fechamento da sua estrutura?

 

O gesso acartonado, a placa cimentícia, a placa de OSB (oriented strand board – painéis de partículas orientadas) e o siding são os principais materiais utilizados para vedação da estrutura, vindo ainda a auxiliar em sua rigidez.

 

O gesso acartonado, deve ser utilizado apenas em áreas internas, podendo ser aplicado em paredes estruturais ou não (drywall). Este material é subdivido em 3 tipos diferentes, sendo eles: Placas standard (ST), placas resistente ao fogo (RF) e as placas resistentes a umidade (RU). As placas resistentes ao fogo possuem coloração rosada, e são indicadas para áreas secas que necessitem de uma exigência especial contra o fogo. Já as placas RU, possuem uma coloração esverdeada (conhecidas também como chapas verdes), sendo elas destinadas a ambientes expostos apenas à umidade, e não ao contato direito com a água (neste caso indica-se placa cimentícia).

 

Placas de gesso acartonado. (Fonte: http://www.divisystem.com.br)

 

 

As placas cimentícias são indicadas para áreas externas e áreas molháveis. Também é possível utilizá-las em pisos, porém, devido à sua baixa resistência à flexão Freitas e Crasto (2006) indicam a utilização de um substrato para as mesmas.


De acordo com a empresa Brasilit, as placas são compostas por cimento portland, fios sintéticos e fibras celulósicas. Possuem elevada resistência a impactos, cupins e micro-organismos, são incombustíveis, possuem boa resistência térmico-acústica, além de poderem ser utilizadas para superfícies curvas (são flexíveis).

 

Placas cimentícias utilizadas na área externa (Arquivo próprio).

 

O OSB é uma abreviação para Oriented Strand Board (chapas de partículas orientadas). Como seu próprio nome descreve, são chapas de madeira formadas em diversas camadas com pequenas partículas orientadas e perpendiculares em relação à camada anterior. Por se tratar de um material de fácil deterioração, as chapas recebem tratamentos para serem resistentes a intempéries, cupins e micro-organismos. O principal ponto crítico do OSB são suas laterais, para isso, utiliza-se um “impermeabilizante” parecido com uma cera para proteger suas laterais, sendo assim, não se aconselha o recorte das placas (com exceção dos locais necessários, como portas e janelas, por exemplo).

 

Como se trata de um material resistente, as placas OSB acabam sendo consideradas no cálculo da estrutura (este trabalho não leva em consideração os efeitos do OSB), com a intenção de se determinar sua influência e consequentemente gastar menos material. Devido as excelentes características estruturais, o Engenheiro Gustavo Berti cita que em suas edificações de LSF, são utilizadas placas OSB no exterior e interior das paredes, com a finalidade de deixar a estrutura mais rígida e resistente.

 

Também vale destacar, que a utilização do OSB nas áreas internas, aumenta a resistência da parede para pendurar objetos decorativos, eletrônicos e outros.

 

 Edificação com fechamento em OSB. (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Light_Steel_Framing#mediaviewer/File:LSFosb05.jpg)

 

 

Siding: Freitas e Crasto (2006) citam que o siding pode ser vinílico (mais conhecido), o qual é constituído em PVC (policloreto de vinila), em madeira ou até mesmo cimentício. De certa forma o siding em PVC é uma cópia realizada pela indústria, do siding em madeira. Este sistema é marcado pela vasta utilização nos EUA. No Brasil, uma boa referência para tal material, são as franquias do restaurante ‘fast food’ MC Donalds.


Para a aplicação deste fechamento, é necessária a fixação de placas OSB, a fim de dar resistência e maior impermeabilidade a estrutura. Para sua utilização, são usados perfis e cantoneiras metálicas.

 

 

Casa em Siding. (Fonte: http://brothersservices.com/portfolio-items/vinyl-specialty-siding-7/)

 

 

De modo resumido podemos dizer o seguinte:

 

O gesso acartonado é indicado para áreas internas secas (locais úmidos, sem contato com a água apenas para chapas verdes).

As chapas cimentícias, são indicadas para ambientes molhados e áreas externas sujeitas a intempéries.

As placas OSB, são indicadas tanto para áreas externas como internas, auxiliando na rigidez da estrutura.

O siding é utilizado apenas em ambiente externo, oferecendo proteção contra intempéries e ausência de outros revestimentos, tendo em vista que já é utilizado como “decoração”.

Deste modo, você já pode ter uma ideia do que utilizar como fechamento.

 

 

 

 

 

Escrito por: Carlos Alberto G. S. M. Machado, Engenheiro Civil formado na UniFil, em 2013. Pós-Graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho. E-mail: carlos@aegrupo.com.br

Please reload

Siga